A deputada federal Tabata Amaral (PDT-SP), afirmou durante o programa Roda Viva, exibido nesta segunda-feira (14), que entrará com uma ação no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para sair do partido sem perder o mandato. “Para mim, não há mais espaço no PDT”, afirma.
Segundo a parlamentar, outros seis deputados também entrarão com o processo. São eles: Flávio Nogueira, Marlon Santos e Gil Cutrin, também do PDT, e Rodrigo Coelho, Jefferson Campos e Felipe Rigoni, do PSB. “As ações são individuais, mas a gente tomou essa decisão”, explica.
Tabata reclamou do fato de o partido não ter tomado uma decisão concreta sobre sua expulsão. “No meu caso, o PDT, quando decidiu me suspender depois da votação da reforma da Previdência, disse que teria dois meses para me julgar. Isso faz três meses. O PDT deixou de ser meu partido”, justifica.
A parlamentar também contou que propostas de sua autoria para o partido foram abandonadas, como a construção de um Código de Ética para o PDT. “Eu não atuo mais como vice-líder, os projetos que eu tinha em São Paulo foram cancelados.”
Tabata disse ainda não saber para qual partido vai. “Não sentei para falar com nenhum partido e tinha esperança de resolver essa situação, mas duas coisas são importantes: quero um partido que entenda minha visão de mundo e que me dê liberdade para fazer o que eu fazia dentro do PDT”, conta. “Quero fazer uma conversa com todos os partidos para entender onde posso construir essa boa política.”
COMPARTILHE

Sobre o Autor

Ex-vereador e Ex-presidente da Câmara de Vereadores de Jacobina, Carlos de Deus é formado em Administração de Empresas pela Universidade Norte do Paraná. Diretor-presidente do jornal Tribuna Regional e do site TrAgora.

Deixe Um Comentário


Desenbahia
BAN-728-X90-PX-mulher