O Supremo Tribunal Federal (STF) marcou para o dia 26 de junho o julgamento virtual o pedido de prisão domiciliar feito pela defesa do ex-ministro Geddel Vieira Lima.
Relator da ação penal que apura os R$ 51 milhões encontrados em um apartamento em Salvador, o ministro Edson Fachin, do STF, estava aguardando a manifestação tanto da Justiça baiana quanto do Ministério Público Federal (MPF).
Diante da pandemia do novo coronavírus, os advogados alegam que as condições oferecidas aos detentos do Complexo Penitenciário da Mata Escura, onde Geddel está, não são seguras.
Ainda segundo a defesa, Geddel já tem mais de 60 anos, além de comorbidades que o colocam no grupo de risco.
COMPARTILHE

Sobre o Autor

Deixe Um Comentário