O senador Otto Alencar (PSD) avalia como absurda a sugestão do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) Dios Toffoli, de impor uma quarentena de oito anos para juízes, ministros e conselheiros que deixem a carreira para concorrer por cargos eletivos.
“Um regime democrático pode proibir um juiz, policial, procurador, ministro ou quem quer que seja de disputar mandato eletivo? Isso por si só é um absurdo. E dentro disso há outro absurdo, o de imaginar que um juiz no exercício do cargo ganha voto dando penas, condenando gente”, disse ao colunista de A Tarde, Levi Vasconcelos.
Toffoli defendeu a proposta durante sessão do Conselho Nacional de Justiça na última quarta-feira (29), e disse que ter abordado o tema com legislaturas anteriores do Senado e da Câmara. No mesmo dia, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM) endossou a ideia.
Nenhum dos dois citaram expressamente o caso do ex-juiz, e ex-ministro da Justiça do governo Bolsonaro, Sergio Moro – que é tido como provável presidenciável para as eleições de 2022.
COMPARTILHE

Sobre o Autor

Deixe Um Comentário