O presidente do PSD baiano, senador Otto Alencar defende que a CPI da Covid seja instalada futuramente devido ao atual momento da pandemia no país. Ao bahia.ba, o parlamentar avalia que as sessões presencias não deverão ser possíveis por causa das mortes por coronavírus no Senado.

O parlamentar baiano argumenta que três sendores já morreram por complicações do coronavírus e a realização de sessões colocaria em risco a saúde de assessores, funcionários da Casa, além dos próprios políticos.

“Não existem condições sanitárias para começar os trabalhas presenciais da CPI neste momento no Senado. Acho que agora as sessões presenciais serão impossíveis de acontecer. Já morreram três senadores pela Covid. Hoje morreu o principal assessor do senador José Serra, também de Covid. Se um depoente tiver comorbidade, por exemplo, diabetes, ninguém poderá obrigá-lo a comparecer no Senado. Além dos senadores idosos, dos assessores, dos funcionários da Casa em risco”, analisa.

Otto também criticou a articulação do governo federal para blindar o presidente Jair Bolsonaro na comissão. “O que o presidente Jair Bolsonaro quer é tirar o braço da seringa. Eximir a responsabilidade do ex-ministro [Eduardo] Pazuello na Saúde. Estamos tratando de recursos federais que foram repassados para estados e municípios, obviamente, qualquer senador pode pedir um requerimento convocando um prefeito ou governador quando a CPI for instalada Tem até aquela velha frase, de que CPI todo mundo sabe como começa e não sabe como termina”, destaca.

O Supremo Tribunal Federal (STF) julga na quarta-feira (14) se manterá a decisão monocrática do ministro Luis Roberto Barroso, que determinou a instalação da comissão.

COMPARTILHE

Sobre o Autor

Deixe Um Comentário