O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) reconduziu o ex-deputado federal José Carlos Aleluia (DEM) à função de conselheiro da Itaipu Binacional, hidrelétrica que fica na fronteira com Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná, e Cidade del Leste, no Paraguai. A informação consta em edição extra do diário oficial da União da última sexta-feira (15).
Além dele, o ex-ministro do governo de Michel Temer, Carlos Marum, também foi reconduzido à função.
Aleluia estava exercendo cargo de assessor especial do Ministério da Saúde. Pai do vereador de Salvador Alexandre Aleluia (DEM), o ex-deputado tem mandato válido para o posto até 16 de abril de 2014. De acordo com o portal Metrópoles, o salário para a função é de R$ 27 mil.
Em 2017, o nome do ex-parlamentar baiano surgiu na delação da Odebrecht. Ele foi apontado como receptor de uma propina no valor de R$ 300 mil, via caixa 2, nas eleições de 2010, além de doação legal de R$ 280 mil nas eleições de 2014, conforme apresentado em inquérito autorizado pelo ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato à época no Supremo Tribunal Federal (STF).
COMPARTILHE

Sobre o Autor

Deixe Um Comentário