O ex-presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha (MDB) afirma que o ex-presidente e seu colega de partido Michel Temer “lutou de todas as maneiras” pelo impeachment de Dilma Rousseff (PT) quando era vice-presidente da República. A declaração está em trecho revelado pela revista Veja do livro “Tchau, Querida — O Diário do Impeachment”, de autoria de Cunha, que será lançado no dia 17 de abril. As informações são do Uol.

“Temer não só desejava o impeachment como lutou por ele de todas as maneiras […] Ele acha que os outros são idiotas para acreditar na história da carochinha de que não desejava o impeachment nem teria feito nada por isso”, diz Cunha.

Em outro trecho revelado pela Veja, Cunha sugere que a petista era espionado por militares. Ele cita uma viagem que fez ao lado do ex-comandante do Exército, Eduardo Villas Bôas,  na qual ele diz ter percebido que o general tinha muitas informações sobre Dilma.

“Ele demonstrava conhecer a rotina do palácio com uma desenvoltura que não seria possível sem fontes internas […] Dilma não sabia, mas era vigiada o tempo todo de dentro do palácio. Até visitas que recebia, telefonemas a que atendia, tudo era do conhecimento dos militares”, alega Cunha, sem apresentar mais indícios.

Cunha está em prisão domiciliar por ser do grupo de riscos da Covid-19. Ele foi condenado a 14 anos e seis meses de prisão por corrupção passiva em irregularidades envolvendo a Petrobras, e está preso preventivamente por lavagem de dinheiro e evasão de divisas por recebimento de propinas em contas mantidas na Suíça.

COMPARTILHE

Sobre o Autor

Deixe Um Comentário