O senador Angelo Coronel (PSD) afirmou que votou a favor da reforma da Previdência após o Senado ter conseguido ajustar o texto de acordo com suas reivindicações, incluindo a exclusão das mudanças na aposentadoria rural e no Benefício de Prestação Continuada (BPC), para pessoas de baixa renda. “Votei dentro da minha coerência”, disse o pessedista.
Segundo o parlamentar, o trabalho agora será focado na construção da chamada “PEC Paralela”, onde pretende “contemplar outras categorias” e incluir estados e municípios, que ficaram de fora da reforma desde a aprovação na Câmara dos Deputados.
Os outros dois senadores baianos, Jaques Wagner (PT) e Otto Alencar (PSD), votaram contra o texto.“Como havia antecipado, votei contra a #ReformaDaPrevidencia. Embora tenhamos conseguido, a partir da pressão popular e articulação no Congresso, retirar pontos cruéis do projeto, o texto aprovado aprofunda as desigualdades no Brasil”, disse Wagner logo após a votação em sua conta oficial no Twitter.
Por sua vez, Otto, líder da bancada do PSD, liberou os colegas para que votassem como quisessem, mas também ressaltou sua posição contrária. “A reforma da previdência é nociva, sobretudo com os trabalhadores do regime geral. Voto contra! Não há como me convencer da forma como a proposta está que um trabalhador da iniciativa privada pendurado em um andaime, um pedreiro, um carpinteiro vai conseguir contribuir com a Previdência Social por 40 anos, especialmente no momento que o Brasil vive uma crise de desemprego e na economia”, disse nas redes sociais.
Política Livre
COMPARTILHE

Sobre o Autor

Ex-vereador e Ex-presidente da Câmara de Vereadores de Jacobina, Carlos de Deus é formado em Administração de Empresas pela Universidade Norte do Paraná. Diretor-presidente do jornal Tribuna Regional e do site TrAgora.

Deixe Um Comentário


Desenbahia
BAN-728-X90-PX-mulher