O presidente Jair Bolsonaro alfinetou o ex-ministro da Justiça Sergio Moro, neste domingo (2), em uma postagem no Instagram. Ele afirmou que a saída do ex-aliado fez com que, ‘em um passe de mágica’, diversas operações fossem colocadas em prática.
“Com a troca do Ministro da Justiça, como por um passe de mágica, várias e diversificadas operações foram executadas. A Polícia Rodoviária Federal, por sua vez, quase triplicou a apreensão de drogas com o novo ministro [André Mendonça]”, escreveu Bolsonaro.
Para comprovar que a pasta seguiu melhor sem Moro, seu provável concorrente na disputa pela Presidência em 2022, Bolsonaro elencou algumas ações de combate à corrupção adotadas em seu governo. Ele aproveitou para reafirmar que a Polícia Federal (PF) tem liberdade para atuar, ou seja, não sofreria interferência do presidente.
“O maior programa combate à corrupção foi executado por mim ao não lotear cargos estratégicos, como por exemplo as presidências das estatais. A Polícia Federal goza de total liberdade em sua missão. Nunca interferi, e nem poderia, em absolutamente nada”, destacou. Ele citou que a PF receberá, este ano, 600 profissionais e serão abertas duas mil vagas através de concurso público para a instituição.
Bolsonaro ainda deixou uma indireta para o Judiciário, que tem realizado operações contra bolsonaristas e filhos do presidente: “Qualquer operação, de combate à corrupção ou não, deve ser conduzida nos limites da lei, e assim tem sido feito em meu Governo. Quanto as operações conduzidas por outro Poder quem responde pelas mesmas não sou eu”.
“Com orgulho digo: estamos há 18 meses sem qualquer denúncia de corrupção. Isso tem incomodado parte da imprensa e os derrotados de 2018”, finalizou. A postagem teve mais de 133 mil curtidas e quase cinco mil comentários, muitos chamando Bolsonaro de “o melhor presidente do Brasil”.
COMPARTILHE

Sobre o Autor

Deixe Um Comentário