A deputada federal e presidente do PSL na Bahia, Dayane Pimentel, negou na manhã desta sexta-feira (08) que seja traidora após ter rompido com o presidente Jair Bolsonaro e disse que, na verdade, se sente traída. “Eu não sou traidora. Eu continuo com as mesmas pautas. Eu me sinto traída, porque a partir do momento que confio na pessoa, olho nos olhos e ela me garante que posso contribuir, mas ela me mostra que não posso nem divergir, então a traída sou eu”, disse, em entrevista à rádio Metrópole.
Ela apoiou a permanência do deputado federal Delegado Waldir (PSL) na liderança do partido na Câmara e não assinou a lista para que Eduardo Bolsonaro assumisse o posto por conta de um compromisso assumido na campanha. “Mantive minha postura. Significa que cumpri com minha palavra, que foi a liderança que foi meu compromisso do início do mandato”, pontuou. A parlamentar disse ainda que continuará apoiando as pautas do governo.
COMPARTILHE

Sobre o Autor

Deixe Um Comentário


Desenbahia
BAN-728-X90-PX-mulher