O deputado estadual baiano Pastor Tom vai deixar o PSL. O parlamentar, que tenta ter o controle do diretório de algum partido em Feira de Santana (BA) para se viabilizar como candidato à prefeitura do município, revelou que a relação com a direção da sigla estadual, presidida pela deputada federal Dayane Pimentel, se desgastou. A parlamentar também é pré-candidata no município.

“Estou saindo do PSL. Fui eleito pelo Patriotas, o que me dá garantias”, declarou Tom para a reportagem. Agora, ele negocia a filiação com o PDT, PL e PP, entre outros partidos.

O deputado afirma que a relação com o PSL Bahia azedou de vez quando a deputada rompeu com o clã Bolsonaro. “Depois da mudança, ficou ruim o relacionamento. Vou continuar apoiando Bolsonaro. Meu candidato a presidente vai ser ele. […] É uma divergência com a presidente que está na Bahia”, critica. “Não teve briga. A gente parou de se falar há algum tempo. Partido tem que conversar, partido não tem dono”.

No momento, as conversas mais avançadas de Tom apontam para o PDT. Ele afirma que já conversou sobre o assunto com o deputado estadual Roberto Carlos (PDT). O presidente estadual pedetista, Félix Mendonça Júnior afirmou que desconhece a articulação, mas disse que Tom seria “bem-vindo” na agremiação.

COMPARTILHE

Sobre o Autor

Ex-vereador e Ex-presidente da Câmara de Vereadores de Jacobina, Carlos de Deus é formado em Administração de Empresas pela Universidade Norte do Paraná. Diretor-presidente do jornal Tribuna Regional e do site TrAgora.

Deixe Um Comentário