O senador Angelo Coronel (PSD-BA) disse estar sendo vítima de ameaça após assumir a presidência da CPMI (Comissão Parlamentar Mista de Inquérito) das Fake News.
O congressista pediu escolta à Polícia Legislativa após sofrer as intimidações em seu e-mail funcional. O autor das mensagens, sem identificação, disse ao senador que iria “encher sua boca de chumbo”.
A comissão que começou a funcionar no dia 4 de setembro tem 180 dias para apurar uso de notícias e perfis falsos, aliciamento de crianças para o cometimento de crimes de ódio e suicídio, além de ataques cibernéticos para influenciar o resultado das eleições de 2018. O colegiado reúne 15 senadores e 15 deputados titulares, além de mesmo número de suplentes.
O senador disse que as ameaças feitas por indivíduos que se escondem atrás de perfis e e-mails falsos têm sido comuns e, agora, chegaram até ele.
“Creio que justamente por pregar tratamento mais duro contra esse tipo de gente, e pelo fato de a internet dar uma falsa sensação de anonimato, indivíduos descomprometidos com as leis se atrevem a espalhar ameaças. A Polícia Legislativa já cuida do caso”, afirmou.
Poder 360
COMPARTILHE

Sobre o Autor

Ex-vereador e Ex-presidente da Câmara de Vereadores de Jacobina, Carlos de Deus é formado em Administração de Empresas pela Universidade Norte do Paraná. Diretor-presidente do jornal Tribuna Regional e do site TrAgora.

Deixe Um Comentário


Coronavírus