O Tribunal de Contas dos Municípios, nesta quinta-feira (25/04), julgou parcialmente procedente denúncia formulada contra o prefeito de Irecê, Elmo Vaz Bastos de Matos, em razão da ausência de transparência dos atos da administração pública municipal no exercício de 2017. O relator do processo, conselheiro Francisco Netto, multou o gestor em R$3 mil.

A denúncia ao TCM foi formulada pela vereadora Margarida Batista, que relatou a não atualização, por parte da Prefeitura de Irecê, das informações contidas no seu site, deixando, assim, de publicar atos administrativos, editais de licitação e a íntegra de contratos. Também foi apontada a ausência de repasse das prestações de contas mensais ao TCM.

Em relação à ausência de publicação dos editais de licitação e contratos na íntegra, o conselheiro Francisco Netto constatou que, em alguns casos, os processos administrativos sequer foram publicados na imprensa oficial, o que confirma a irregularidade. Sobre o não repasse das prestações de contas mensais ao TCM, foi comprovado que os documentos ingressaram na plataforma tecnológica e-TCM e no sistema SIGA do tribunal, mas fora do prazo estabelecido, sendo procedente também essa irregularidade.

Contudo, a relatoria não acolheu a denúncia relativa a ausência de publicação dos atos administrativos, já que as informações exigidas pela Lei Federal nº 101/2000, constam do site oficial da Prefeitura Municipal de Irecê, não procedendo, portanto, essa ilegalidade.

Cabe recurso da decisão. As informações são do TCM/BA

COMPARTILHE

Sobre o Autor

*Atuou como Repórter nos jornais O Paraguaçu (Itaberaba/BA), Primeira Página (Jacobina/BA) e Oeste Hoje (LEM/BA). Sites: Camaçari Fatos e Fotos e Nossa Metrópole (Camaçari/BA). Atualmente, edita o portal TRagora e é Repórter do jornal Tribuna Regional.

Deixe Um Comentário