O Supremo Tribunal Federal (STF) formou maioria e suspendeu, nesta quarta-feira (07/08/2019), por 10 votos a 1, a transferência do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para o presídio em Tremembé, no interior de São Paulo. Apenas o ministro Marco Aurélio Mello votou contra.

O petista está preso em Curitiba desde abril de 2018, quando foi condenado no caso do triplex em Guarujá (SP). Mais cedo, a juíza substituta Carolina Lebbos, da 12ª Vara Federal de Curitiba, autorizou a transferência do petista. Ela argumentou que os custos humanos e financeiros para manutenção de Lula na Superintendência da Polícia Federal eram altos.

Os magistrados decidiram manter o petista preso até a Suprema Corte julgar uma ação que questiona a atuação do ex-juiz Sergio Moro – atual ministro da Justiça – no processo que condenou Lula à prisão pelo caso do triplex em Guarujá.

A defesa, por sua vez, discordou da mudança. O advogado Cristiano Zanin solicitou ao STF a suspensão da análise do pedido da Superintendência da Polícia Federal até o julgamento final do habeas corpus pelo STF. Os defensores pedem a nulidade da condenação de Lula.

Relator da Lava Jato no STF, o ministro Edson Fachin foi o primeiro a votar a favor da suspensão da decisão da Justiça Federal de Curitiba que havia determinado, a pedido da Polícia Federal (PF), a transferência do ex-presidente para instituição prisional de São Paulo.

COMPARTILHE

Sobre o Autor

*Atuou como Repórter nos jornais O Paraguaçu (Itaberaba/BA), Primeira Página (Jacobina/BA) e Oeste Hoje (LEM/BA). Sites: Camaçari Fatos e Fotos e Nossa Metrópole (Camaçari/BA). Atualmente, edita o portal TRagora e é Repórter do jornal Tribuna Regional.

Deixe Um Comentário


Banner publicidade 728 x 90 RODAPÉ