Sérgio Moro, ministro da Justiça e Segurança Pública, se negou a assinar um documento para que fosse entregue à Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) e aos órgãos competentes os celulares funcionais que supostamente foram alvo de hackers. Ele disse que o celular já passou por uma perícia da polícia federal e que nada foi constatado.

O pedido foi feito pelo deputado federal José Guimarães (PT-CE) durante audiência pública na tarde desta terça-feira (2) na CCJ da Câmara dos Deputados.

“Se vossa excelência assinar estará dando declaração de ética ao parlamento”, disse Guimarães.

O petista relembrou do julgamento de suspeição contra Moro que corre na segunda turma do Supremo Tribunal Federal (STF). “Se essa suspeição for confirmada na segunda turma, o senhor renuncia ao cargo de ministro?”, questionou. Moro não respondeu a esse questionamento.

O deputado Alencar Santana Braga (PT-SP) disse que Moro não entrega seu celular porque não tem coragem. Ele pediu a saída de Moro do ministério. “Agiu como herói e agora é capacho de um governo que tem protegido pessoas que cometeram ilícitos. Ministro Moro, vossa excelência devia se declarar suspeito e sair fora como ministro”. Radar

COMPARTILHE

Sobre o Autor

*Atuou como Repórter nos jornais O Paraguaçu (Itaberaba/BA), Primeira Página (Jacobina/BA) e Oeste Hoje (LEM/BA). Sites: Camaçari Fatos e Fotos e Nossa Metrópole (Camaçari/BA). Atualmente, edita o portal TRagora e é Repórter do jornal Tribuna Regional.

Deixe Um Comentário