O secretário de Saúde da Bahia, Fábio Vilas-Boas, defendeu a vacina Sputnik V e criticou mais uma vez a Anvisa. Em entrevista à TV Bahia, nesta quarta-feira (28), o secretário afirmou que a Anvisa não prova as acusações feitas contra o imunizante russo. Nesta terça-feira (27), a agência sanitária brasileira negou a autorização da importação e o uso emergencial das doses da vacina.

“O que está se replicando não é o vírus do coronavírus, é o adenovirus, que é um vírus que causa resfriado. Ninguém vai morrer por ter uma replicação. Segundo, o fabricante insiste em dizer que não há replicação, e a Anvisa não demonstra de onde saiu essa informação e deverá ser interpelada para saber onde ela obteve essa informação”, afirmou o secretário.

Vilas-Boas ainda recordou que a Comissão Técnica Nacional de Biossegurança (CNTBio), órgão vinculado ao Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTI), emitiu um relatório aprovando a Sputnik V, “atestando que ela não possui adenovírus replicante” e, portanto, seria “uma vacina segura”.

“É algo que gera um conflito, um contrassenso. Um órgão do governo diz uma coisa, um órgão responsável por atestar a segurança da vacina diz que ela é segura, e a Anvisa que deveria avaliar a eficácia e também a segurança, diz que ela não é segura. Ela [Anvisa] não apresenta as provas. Ela faz alusões”, completa ao dizer que a agência sanitária não mostra evidências sobre a falta de segurança do imunizante.

COMPARTILHE

Sobre o Autor

Deixe Um Comentário