A Bahia vem tendo dificuldades para conseguir novos respiradores para aumentar o número de leitos de UTI no tratamento do coronavírus. Na semana passada, o estado cancelou a compra de um fornecedor da China que atrasou por duas vezes a entrega dos aparelhos. Em abril, uma carga de 600 respiradores ficou retida nos Estados Unidos.
Nesta segunda-feira (11), o governador Rui Costa lamentou a dificuldade para aquisições e culpou as empresas comerciais que atuam como investidores, aproveitando-se do aumento da demanda.
“Virou uma gincana. A humanidade aproveita a oportunidade para ganhar dinheiro. O que a gente percebe é que as tradings, os atravessadores, compram tudo no mundo. Se eles souberem que o preço do cacau vai subir, eles compram tudo. Quando fomos verificar há meses atrás, além deles terem comprado o estoque, compraram a produção dos meses seguintes. Quando a gente procura os fornecedores, eles nos dizem que só vai ter no ano que vem. Virou o elemento mais difícil de adquirir. É o equipamento mais valioso”, disse, em entrevista à rádios do interior.
Até o último domingo (10), a Sesab registrou 5.558 casos confirmados do novo coronavírus, com 202 mortes confirmadas. Na Bahia, dos 888 leitos disponíveis do Sistema Único de Saúde (SUS) exclusivos para Covid-19, 444 possuem pacientes internados, o que representa uma taxa de ocupação de 50%.
COMPARTILHE

Sobre o Autor

Deixe Um Comentário