O governador da Bahia, Rui Costa (PT), disse, ontem, que as conversas vazadas do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, e o procurador do Ministério Público Federal (MPF), Deltan Dallagnol, vão além da discussão sobre a imparcialidade do julgamento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Lula foi condenado, em primeira instância, por Moro a nove anos e meio de prisão no caso do triplex.

“Acho que essa questão é muito além da questão do Lula. Não se trata da questão de um julgamento, se trata do comportamento de juízes e promotores. Não é admissível que quem deveria, no exercício da sua profissão respeitar a lei e zelar pelo cumprimento, sejam as primeiras pessoas a descumprir a lei. Não se trata de um julgamento. Eu não quero reduzir isso ao julgamento A ou B. É muito mais grave”, declarou Rui Costa, em entrevista à imprensa.

Mensagens trocadas por Sergio Moro, quando era juiz na Operação Lava Jato, e Deltan mostram que o ex-magistrado orientou as ações dos procuradores. As conversas foram divulgadas pelo site The Intercept Brasil. Ontem, Rui Costa defendeu que todo o conteúdo seja divulgado.

“Eu acho que fica sempre a necessidade de a sociedade conhecer todo o conteúdo o mais rápido possível”, salientou.

Na noite de ontem, o site divulgou mais uma leva de mensagens. Nelas, Moro repreende Dallagnol após a Lava Jato investigar o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) para passar uma impressão de imparcialidade.

“Melindra alguém cujo apoio é importante”, disse o então magistrado. Leia mais na Tribuna da Bahia.

COMPARTILHE

Sobre o Autor

*Atuou como Repórter nos jornais O Paraguaçu (Itaberaba/BA), Primeira Página (Jacobina/BA) e Oeste Hoje (LEM/BA). Sites: Camaçari Fatos e Fotos e Nossa Metrópole (Camaçari/BA). Atualmente, edita o portal TRagora e é Repórter do jornal Tribuna Regional.

Deixe Um Comentário