Os ex-jogadores Ronaldinho Gaúcho e o seu irmão e empresário Assis foram detidos pela polícia do Paraguai na noite desta quarta-feira (5). Eles foram encontrados com passaportes falsos em seus nomes. O craque está no país para participar de dois eventos nesta quinta (5), em Assunção. Autoridades do Ministério do Interior e do Ministério Público do Paraguai estiveram no hotel onde a dupla está hospedada.

As autoridades paraguaias receberam a denúncia ainda no aeroporto, mas por causa da festa no local com a chegada do ex-craque do Barcelona e da Seleção Brasileira, preferiram não agir devido a repercussão que seria causada. Ronaldinho e Assis receberam os policiais na suíte do hotel e colaboraram com as investigações. Os dois vão depor nesta quinta.

Em novembro de 2018, o Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul (TJ-RS) apreendeu o passaporte de Ronaldinho e Assis pelo não pagamento de uma dívida no valor de R$ 8,5 milhões por dano ambiental em Porto Alegre. Em maio do ano seguinte, o Superior Tribunal de Justiça manteve a decisão da Justiça gaúcha. Porém, em setembro, a dupla entrou em acordo com o Ministério Público do Rio Grande do Sul e recuperaram seus passaportes. Nesse mesmo período, ele foi nomeado embaixador do turismo brasileiro pela Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo).

No entanto, o que intriga as autoridades do Paraguai é o fato de Ronaldinho e Assis chegarem com documentos falsos, já que o acordo do Mercosul não exige a apresentação de passaporte para entrar no país.

COMPARTILHE

Sobre o Autor

Ex-vereador e Ex-presidente da Câmara de Vereadores de Jacobina, Carlos de Deus é formado em Administração de Empresas pela Universidade Norte do Paraná. Diretor-presidente do jornal Tribuna Regional e do site TrAgora.

Deixe Um Comentário