O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), comentou nesta sexta-feira, no Rio,  a declaração do ex-procurador-geral da República Rodrigo Janot de que pensou em matar o ministro Gilmar Mendes , do Supremo Tribunal Federal (STF) e se suicidar em seguida. Maia participou de um evento na FGV e, no meio de sua fala sobre a importância da segurança jurídica no país para garantir investimentos, citou o caso.
 “Mas é um país estranho que cada dia é uma novidade. Hoje, descobrimos que o procurador-geral da República queria matar o ministro do Supremo. Então, quem vai querer investir num país desse? Você ia querer investir?”, questinou Maia, acrescentando:
“Fico pensando: pelo menos a PF já deve ter tirado o porte de arma dele. Pelo menos isso para a gente ficar um pouco mais tranquilo”.
Ao final do evento, questionado sobre a fala, o deputado disse:
“Não  se pode nem mais brincar”.
Depois da insistência da imprensa, encerrou:
“Sei lá…ele (Janot) não brincou na entrevista dele?”
Logo depois da fala sobre Janot, Maia seguiu e falou sobre o governo:
“O Ministério do Meio Ambiente nega os dados técnicos do Inpe. É isso, você nega o que existe e o que investidor acha? Esses caras estão defendendo o desmatamento. Não é verdade, mas é a narrativa que eles vendem de maneira muito inteligente. Então, esse é o Brasil que  temos”, afirmou.
O Globo
COMPARTILHE

Sobre o Autor

Deixe Um Comentário


Desenbahia
BAN-728-X90-PX-mulher