A deputada Estadual Neusa Cadore do PT, presidente da Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa da Bahia, classificou como perseguição e mais um ato autoritário de Bolsonaro o anúncio do corte de 30% na dotação orçamentária da Universidade Federal da Bahia (UFBA) e de outra duas instituições.

Para a deputada essa perseguição às universidades é mais uma marca do autoritarismo e da ação ideológica que tenta censurar a liberdade de expressão e pensamento.

Além da UFBA, o ministro da Educação, Abraham Weintrab, determinou também o corte de pelo menos 30% dos recursos da Universidade de Brasília (UnB) e da Universidade Federal Fluminense (UFF), argumentando que as instituições permitiram supostos atos políticos, classificados por ele como “balbúrdia”.

COMPARTILHE

Sobre o Autor

*Atuou como Repórter nos jornais O Paraguaçu (Itaberaba/BA), Primeira Página (Jacobina/BA) e Oeste Hoje (LEM/BA). Sites: Camaçari Fatos e Fotos e Nossa Metrópole (Camaçari/BA). Atualmente, edita o portal TRagora e é Repórter do jornal Tribuna Regional.

Deixe Um Comentário