Menu

Quase seis meses após queda, muro da Praça do Céu de Jacobina continua no chão

TRagora 6 anos atrás
Quase seis meses após a queda, o muro da grade dos fundos da Praça de Esportes e Lazer, a Praça do Céu de Jacobina, continua no chão. O problema aconteceu durante uma forte chuva que caiu na cidade no mês de março deste ano, e desde então a recuperação do muro tem sido motivo de discussão entre a prefeitura e a empresa que realizou a obra para o Governo Federal. Pra piorar a situação, enquanto o tempo passa e nada se resolve a erosão vem escavando a área por baixo do piso, o que pode causar sérios danos se a erosão não for contida.

 

 Além disso o problema deixa o local desguarnecido pois sem a grade de proteção qualquer um pode utilizar o terreno deserto que fica após o muro para ter acesso de modo furtivo as dependências do praça. Estivemos em contato com o administrador do local, Alcícero, que nos relatou que o problema ainda não foi resolvido por que existe uma discussão para definir a quem pertence responsabilidade da obra. A empresa alega que é a prefeitura que tem que assumir o conserto, pois o muro caiu devido a um evento da natureza, ou seja, a chuva. Já a prefeitura cobra responsabilidade da empresa pois apesar do muro ter caído devido a um evento natural, a má qualidade do serviço ou do material usado contribuiu para que ele ruísse. Em nota enviada ao nosso portal o administrador do Praça nos Céu comentou detalhes dessa discussão”.
Tivemos um encontro formal e para discutir esse assunto com o dono da empresa que foi responsável pela construção da Praça do Céu.
Nesse encontro o papel de governo foi do secretário de obras no sentido de definir se a empresa assumiria o que entendemos por contrato ser responsabilidade da empresa que é a garantia da obra. A empresa alega que foi um evento natural Nós acreditamos que foi um evento natural, mas a questão estrutural foi determinante para ruptura desse muro do fundo. Então agora existe a discussão se nós vamos judicializar ou se vamos tentar em mais um encontro para que consigamos chegar a um consenso com isso, por quê existe a necessidade de uma reforma e precisamos de uma resolutividade.
O princípio da economicidade do dinheiro público nos faz tentar ainda uma solução pacífica, uma solução de acordo para que a comunidade tenha de volta sua Praça na sua Plenitude , a empresa não sai prejudicada e principalmente,a Prefeitura não tenha nenhum ônus de gastos. Lembrando que o gasto da prefeitura é um gasto de dinheiro público então a prefeitura gasta, mais quem paga é o povo, então se pudéssemos ter um acordo… um bom acordo é o ideal para nós. A empresa já veio, já se manifestou formalmente através do seu proprietário que esteve aqui em Jacobina para essa reunião. Então existe algumas alternativas diante disso e  estamos chegando no prazo onde a gente vai ter que tomar algumas decisões.  O prazo até agora apesar de parecer longo é prazo normal de buscar todas essas soluções de acordo e para a melhor saída para o problema.
não tá bacana mesmo. a comunidade tem razão de reclamar sempre tem razão. mas eu acredito numa solução mesmo que não muito rápida, definitiva para  o problema.
AlCícero coordenador da Praça do céu funcionário público concursado e desejo a todos os leitores do blog E a o Emerson um abraço e muita sorte.”
Alheios a essa discussão, os frequentadores da praça torcem para o o impasse seja resolvido.
Fonte: Bahia Acontece
- Anúncio -
Deixe uma resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

- Anúncio -