O PSL na Assembleia Legislativa se reúne, nesta segunda-feira, para cumprir a ordem vinda de Brasília: romper com o governo Wilson Witzel (PSC) — e passar para a oposição.
A decisão partidária já foi comunicada aos integrantes do partido pelo senador e presidente do PSL estadual, Flávio Bolsonaro.
O pote já estava cheio, mas a gota final foi a entrevista do governador à jornalista Andréa Sadi, da “Globonews”, na última quarta-feira.
Entre outras coisas, Witzel disse ter sido eleito pelo que é, por sua história, e “não pelo apoio de Bolsonaro”. E confirmou ser candidato à presidência da República.
A postura do governador foi considerada uma grave traição.
Extra
COMPARTILHE

Sobre o Autor

Deixe Um Comentário


Coronavírus