As documentações da vacina Russa Sputink V, que será testada em 500 voluntários na Bahia, pode chegar no estado ainda nesta sexta-feira (18). A papelada será submetida a análise do Comitê de Ética e Pesquisa do Hospital Couto Maia e, na sequência, a Comissão Nacional de Ética em Pesquisa, em Brasília. Após a aprovação de ambos, o ensaio da eficácia será autorizado. A informação foi compartilhada pelo governador Rui Costa na manhã desta quarta-feira (16), durante entrevista ao jornalista Datena, da rádio Bandeirantes.
O acordo firmado entre a Bahia e a Rússia pode ajudar o Brasil a não ficar atrás na corrida mundial pela proteção contra a Covid-19. O estado pode chegar a produzir 50 milhões de doses, o que ajudaria na imunização de 1/4 da população brasileira.
A Bahia também testa a vacina desenvolvida pela farmacêutica americana Pfizer em parceria com a alemã BioNTech. Os testes estão sendo feitos nas Obras Sociais Irmã Dulce. Segundo Rui, ainda não há um resultado. Durante entrevista, o governador destacou também que é preciso investir em pesquisas próprias para fortalecer a ciência brasileira.
“Eu acho importante que em qualquer nação do mundo estabeleça essa estratégia para assegurar o seu povo. Não dá para fica dependendo de meia dúzia de laboratórios internacionais (…) Não quero que o ódio também entre criando uma cortina de fumaça sobre o desenvolvimento da medicina e da Ciência. Não dá para colocar questões religiosas ou ideológicas para impedir o investimento no progresso e no apoio ao conhecimento na área da saúde. Acho  que o Brasil pode e deve integrar suas universidades e institutos de pesquisa com aquilo que se tem de mais avançado. É assim que se produz conhecimento e ciência, não é se trancando dentro de casa e ficando isolado”, comentou.
COMPARTILHE

Sobre o Autor

Deixe Um Comentário