Neste domingo (31), o papa Francisco fez um alerta durante sua viagem de volta do Marrocos, e disse que as ditaduras nascem a partir do medo.

De acordo com o papa, “muitas pessoas de boa vontade, não apenas católicos”, estão “um pouco tomadas pelo medo”, que é a “pregação usual dos populismos”. “Semeiam o medo e depois tomam as decisões. O medo é o início das ditaduras”, disse no avião papal.

O Pontífice citou  ainda o exemplo da Alemanha, que cedeu às promessas de Hitler, alimentadas pelo medo da população. “Semear o medo é fazer uma coletânea de crueldades, fechamentos e até de esterilidades”, acrescentou. Além disso, o Papa disse sentir “dor” ao ver pessoas que “preferem construir muros”. “Aqueles que fazem os muros acabarão prisioneiros dos muros que eles construíram. Já os que constroem pontes seguirão em frente”, ressaltou.

Ainda segundo Francisco, a Europa deve ser acolhedora e interromper a migração em massa com a “generosidade”, não com a “força”. “É verdade que um país não pode receber todos, mas tem toda a Europa para distribuir os migrantes, toda a Europa”, conculiu. RdB

COMPARTILHE

Sobre o Autor

*Atuou como Repórter nos jornais O Paraguaçu (Itaberaba/BA), Primeira Página (Jacobina/BA) e Oeste Hoje (LEM/BA). Sites: Camaçari Fatos e Fotos e Nossa Metrópole (Camaçari/BA). Atualmente, edita o portal TRagora e é Repórter do jornal Tribuna Regional.

Deixe Um Comentário