(Por João Batista Ferreira) –  A acadêmica, historiadora, pesquisadora e professora Doracy Araújo Lemos faleceu na noite desta quarta-feira (09.12) em Jacobina.  Ela tinha 95 anos e morreu de causas naturais.

Considerada um “patrimônio vivo da história de Jacobina” ( veja matéria escrito por mim aqui), a professora Doracy Lemos era o nosso maior símbolo de jacobinidade.

Doracy Araújo era autora do poema que se transformou no Hino de Jacobina, musicado pelo maestro Amado Honorado de Oliveira, seu fraterno amigo de toda a vidaRodeada de serras majestosas, dos Payayá herdamos Jacobina, a mais linda terra entre as formosas, na encosta da Chapada Diamantina…”, diz um dos trechos do hino.

Doracy Araújo Lemos nasceu em  23 de maio de 1925, na Rua do Barro, atual Praça Miguel Calmon, na Matriz, em Jacobina. Era filha de Macrino Araújo e Doralice Cunha Araújo, tendo ainda os irmãos Vicente, Dirce, Doraide e João Araújo (Jotapropago).

Fez parte da primeira turma do Instituto Senhor do Bonfim, que depois se transformou no tradicional Centro Educacional Deocleciano Barbosa da Castro.

Na juventude, durante a década 40, Doracy foi jogadora de basquetebol, vestindo as cores da equipe do Lidador, tendo sempre como principal adversário o time do Piatã.

Formada em magistério, Doracy Araújo foi lecionar no distrito de Itapura, que à época chama-se Mocambo dos Negros, no município de Miguel Calmon, onde conheceu seu futuro esposo  Manoel de Souza Lemos, que era natural do estado de Pernambuco.

Dessa união,  nasceram os filhos Jorge, Benedito (Bené), José Emanoel, Tereza e Maria da Paz, que deram origem a netos, bisnetos, ampliando a família Araújo Lemos, conceituada e respeitada na sociedade jacobinense.

Depois de anos atuando como professora, Doracy voltou a estudar, concluindo o curso de Licenciatura Curta em Letras Vernáculas pela Faculdade de Formação de Professora de Jacobina, que atualmente é o Campus IV de Uneb.

Membro fundadora da Academia Jacobinense de Letras, Doracy Lemos deixa uma ampla obra literária. Além do clássico “Jacobina, Sua História e Sua Gente”, escreveu “Cartilhas” (1994), Participação na Antologia Letras Douradas (1998), “O Missionário do Sertão” (2000), “Viajem Comigo” (2001), “Eu” (2015), entre dezenas de poemas e crônicas publicados nos jornais da cidade.

“A morte da professora Doracy deixa um enorme vazio e uma grande tristeza na Academia Jacobinense de Letras”, afirmou Ivan Aquino, presidente da AJL.

“Recebi com muito pesar a notícia da morte da professora Doracy Lemos, uma das mais respeitadas escritoras de Jacobina. Ela foi um ícone da pesquisa histórica no nosso município. É com tristeza que nos despedimos dessa mestra da nossa cultura, que terá o seu nome imortalizado no hino da nossa cidade. Jacobina está de luto”, declarou o prefeito Luciano Pinheiro.

O velório da Professora Doracy Araújo Lemos está sendo realizado na Sala de Velórios , e o sepultamento está previsto para às 16h desta quinta-feira (10.12), no Cemitério Jardim da Saudade, em Jacobina.

Fonte: Jacobina24Horas

COMPARTILHE

Sobre o Autor

Deixe Um Comentário