Os pesquisadores da Universidade Federal da Bahia (Ufba) emitiram uma declaração solicitando que seja decretado estado de emergência em saúde pública no Brasil. O objetivo é que, por causa da poluição das praias com as manchas de óleo, o governo tenha um controle dos riscos decorrentes da tragédia.
O alerta foi feito pelo Programa de Pós-Graduação em Saúde, Ambiente e Trabalho da Ufba na última quarta-feira (23). Um estudo do Instituto de Biologia (Ibio), também da universidade, encontrou óleo no interior de 30 animais pescados em áreas atingidas pelo resíduo.
A maior preocupação da coordenação do programa é com a situação dos pescadores que estão em risco por causa do contato com as manchas de petróleo. Além disso, os pescadores locais tiveram um prejuízo de vendas de quase 90%.
A substância líquida oleaginosa é formada por uma mistura complexa de hidrocarbonetos e apresenta riscos toxicológico graves, agudos e crônicos, que podem levar à morte por intoxicação. Os especialistas dizem que alguns dos componentes tóxicos encontrados são o benzeno, tolueno e xileno.
Os pesquisadores cobraram ações mais eficazes dos órgãos de saúde e criticaram a falta de participação das lideranças de pescadores artesanais nos comandos oficiais de atuação na emergência ambiental.
A declaração foi assinada por cerca de 20 pesquisadores, todos do curso de pós-graduação, e que será encaminhada às autoridades competentes nos próximos dias.
COMPARTILHE

Sobre o Autor

Deixe Um Comentário


Desenbahia
BAN-728-X90-PX-mulher