Menu

Kátia Abreu não acredita em transferência de votos de petista

TRagora 6 anos atrás

A candidata a vice-presidente pelo PDT, Kátia Abreu, afirmou acreditar que, pelo “muito grande desconhecimento”, não haverá transferência de votos do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) para o provável sucessor dele na disputa, Fernando Haddad, e disse ter “convicção” de que os votos do líder petista vão migrar para o cabeça da chapa pedetista, Ciro Gomes. “O grau de desconhecimento do Haddad, embora seja uma boa pessoa, o grau de desconhecimento é muito grande. O Brasil é grande demais. Ninguém vai votar por procuração”, disse a senadora e ex-ministra, ao lembrar da dificuldade até de se mencionar o nome de Haddad, atual vice de Lula, que é de origem libanesa. “No interior é assim, se a pessoa tiver um nome estrangeiro.”

“Tenho também a esperança, a convicção, de que os eleitores de Lula, não podendo votar em Lula, vão votar em Ciro”, disse ela, em entrevista à Reuters no seu gabinete do Senado. Kátia Abreu afirmou acreditar que Ciro vai começar a crescer nas pesquisas depois que os eleitores constatarem que não vai ocorrer a “ameaça” do retorno do PT, a quem o candidato do PSL à Presidência, Jair Bolsonaro, tem buscado combater “violentamente”. “Quando isso não for mais factível (uma candidatura petista ao Planalto), tenho a convicção de que ele vai crescer. É uma pessoa de centro-esquerda, mas não é um reacionário, pessoa atrasada, aposta no Estado de Direito, nas regras, nos contratos”, disse a senadora, ex-ministra da Agricultura que ficará responsável pelo plano de governo de Ciro para todo o setor do agronegócio, incluída a agricultura familiar.

A candidata a vice foi categórica ao afirmar que Lula terá a candidatura barrada em razão da condenação confirmada pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) no processo do tríplex do Guarujá (SP). “Lula não é candidato. Ele sancionou a Lei da Ficha Limpa (em 2010), que diz que (condenado) em segunda instância não pode ser candidato, hoje é um fato legal”, disse. “Não vou discutir o mérito da sua prisão e da sua condenação. Eu também tenho dúvidas a respeito das provas, se foi mão pesada. Não vamos discutir isso. Isso é um outro detalhe. O PT tem que lutar até a morte a favor dessas ideias. Eles tem suas convicções e aplaudo quem tem convicções, mesmo que elas não sejam idênticas às minhas.” Contudo, a senadora se esquivou de dizer se Lula, — mesmo preso em Curitiba— dificultou o acerto de Ciro com o PSB. Os socialistas ao final optaram por ficarem neutros na campanha. Para a senadora, foi o PT que atrapalhou, mas ela disse que isso faz parte do jogo político. Segundo ela, Ciro preocupa muita gente, inclusive do PT, e foi o PSB quem mais “perdeu” ao não se aliar com a campanha do PDT.

Fonte: Tribuna da Bahia

- Anúncio -
Deixe uma resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

- Anúncio -