Jacobina tem um histórico endêmico no que diz respeito à dengue, mesmo com diversas iniciativas do Poder Público no combate a este mal. O município já possui 123 casos suspeitos de dengue neste ano, conforme informações da Secretaria Municipal de Saúde. Só nesta segunda-feira, dia 13, cinco pessoas foram hospitalizadas no Hospital Municipal Antonio Teixeira Sobrinho, com sintomas da doença causada pelo mosquito Aedes aegypti.

A secretária de Saúde de Jacobina, Mariana Valois, chama atenção para a necessidade da prevenção, pois ao obedecer os cuidados como manter quintais limpos e com os possíveis criadouros sendo descartados ou vigiados, a infecção é evitada. “A prevenção sempre é o melhor caminho, e esta iniciativa precisa partir dos moradores, limpando seus quintais e fechando suas caixas d’água”, alerta Mariana, solicitando o empenho de todos para o problema, inclusive com denúncias contra àqueles que não cumprem as determinações para se combater os focos do mosquito. “Precisamos muito da colaboração da comunidade em geral, denunciando possíveis focos do mosquito, evitando o acúmulo de água em recipientes abertos, afinal, o Aedes aegypti sofreu várias mutações ao longo dos anos, sendo também o transmissor Zika e chikungunya”, completou a secretária, informando ainda que a população pode contribuir com informações sobre os locais que inspiram cuidados,  por meio do telefone 3621-2217, da Vigilância Epidemiológica.

Dengue – A dengue é uma doença causada por um vírus do gênero Flavivírus, transmitida pela picada do mosquito Aedes aegypti. É endêmica de zonas tropicais, sobretudo no verão e épocas chuvosas. No Brasil, as regiões Sudeste e Nordeste são as mais atingidas e anualmente o Ministério da Saúde faz diversas campanhas, alertando a população para se prevenir contra a doença.

A transmissão se dá pela picada do mosquito infectado por já ter picado outra pessoa doente. O principal transmissor é o Aedes aegypti, um mosquito de hábitos diurnos. A saliva do inseto ao entrar em contato com o sangue humano faz com que o vírus se prolifere. O mosquito se reproduz em locais de água limpa e parada, portanto, populações que morem em regiões sem saneamento básico ou que acumulem locais de água limpa e parada, estão expostas a um risco maior.

Os sintomas da dengue clássica incluem dores musculares, febre alta, dores nas juntas, vômitos, enjoos, etc. Na dengue hemorrágica, sangramentos surgem após a diminuição da febre.

Fonte: Notícia Limpa

COMPARTILHE

Sobre o Autor

Deixe Um Comentário