Especialistas e magistrados ouvidos pela Folha de S. Paulo, classificaram como de potencial “avassalador” a devassa à qual foram submetidas as contas do senador Flávio Bolsonaro, familiares e mais de 80 ex-funcionários, após o Conselho de Controle de Atividades Financeiras, o Coaf, apontar movimentações atípicas na conta do ex-assessor parlamentar Fabrício Queiroz.

Segundo a coluna Painel, da Folha, a vida financeira de Flávio de mais de 10 anos tem sido levantada, a fim de apurar possíveis irregularidades cometidas pelo filho do presidente. Flávio se diz inocente das suspeitas e Fabrício Queiroz informou que os depósitos na ordem de R$ 1,2 milhão em sua conta bancária foram movimentações financeiras oriundas da compra e venda de veículos. Radar da Bahia

COMPARTILHE

Sobre o Autor

Deixe Um Comentário