Cinco meses após a segunda captação de órgãos, o Hospital Regional Dr. Mário Dourado Sobrinho, unidade administrada pelas Obras Sociais Irmã Dulce (OSID) em Irecê, realizou no último dia 30 de maio a terceira captação de sua história. O nobre gesto foi possível graças a autorização da família do paciente Uochinton Alves Boaventura, de 27 anos, que teve a morte cerebral confirmada após um traumatismo cranioencefálico, causado por um acidente automobilístico.

Durante o procedimento, realizado pela equipe da Central Estadual de Transplantes da Bahia e por médicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem do complexo hospitalar, foram retirados seis órgãos, sendo dois rins, um coração, um fígado e duas córneas.

“Mesmo em meio a muita dor, a família autorizou a doação dos órgãos porque é importante salvar a vida de outras pessoas. É bom lembrar que nós também poderemos precisar dessa doação um dia”, ressaltou Marcos Miguel Sobrinho, tio do paciente.

“Desde o primeiro momento, a família se mostrou muito esclarecida em relação a abertura de todo o processo de doação de órgãos do seu ente querido. É uma situação de dor para os familiares, mas também de esperança para tantas outras famílias que aguardam pelos órgãos que foram doados”, explica o médico Elson Nunes Machado, coordenador da Emergência do Hospital Regional. Ascom/HRI

COMPARTILHE

Sobre o Autor

*Atuou como Repórter nos jornais O Paraguaçu (Itaberaba/BA), Primeira Página (Jacobina/BA) e Oeste Hoje (LEM/BA). Sites: Camaçari Fatos e Fotos e Nossa Metrópole (Camaçari/BA). Atualmente, edita o portal TRagora e é Repórter do jornal Tribuna Regional.

Deixe Um Comentário