Apontado como “virtualmente livre” de um câncer em estado terminal, em outubro, o funcionário público aposentado Vamberto Luiz de Castro, de 64 anos, faleceu na semana passada após sofrer um acidente, em Belo Horizonte. As circunstâncias da morte não foram divulgadas, mas a Polícia Civil informou que o corpo dele deu entrada no Instituto Médico Legal (IML) no último dia 11 e saiu no mesmo dia.

Segundo informações do G1, ele sofreu um acidente craniano grave e, por isso, não resistiu.

Castro ganhou fama após o portal divulgar que ele foi salvo do câncer por um tratamento inédito na América Latina. Quando procurou o Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto para tentar o tratamento, o homem estava em fase terminal de um linfoma muito agressivo nos ossos.

Os pesquisadores da Universidade de São Paulo (USP) desenvolveram um procedimento próprio de aplicação da técnica CART-Cell, descoberta no exterior. O método brasileiro consiste na manipulação de células do sistema imunológico para que elas possam combater as células causadoras do câncer.

Como o tratamento bem sucedido, a melhora de Castro foi considerada como uma remissão do câncer – a cura, de fato, só poderia ser confirmada cinco anos depois. Mas antes da terapia genética, ele tomava doses máximas de morfina diariamente e não conseguia andar, pois o tumor havia se espalhado pelos ossos. Após o tratamento, a maioria deles desapareceu e os que ainda sobraram indicavam a evolução da terapia, segundo os médicos.

COMPARTILHE

Sobre o Autor

Ex-vereador e Ex-presidente da Câmara de Vereadores de Jacobina, Carlos de Deus é formado em Administração de Empresas pela Universidade Norte do Paraná. Diretor-presidente do jornal Tribuna Regional e do site TrAgora.

Deixe Um Comentário