O governo prevê a construção de seis novas centrais nucleares no Brasil, além da usina de Angra 3, até 2050, afirmou nesta quinta-feira o secretário de planejamento e desenvolvimento do Ministério de Minas e Energia, Reive Barros.
Segundo ele, os seis empreendimentos somam 6,6 mil megawatts (MW) de capacidade e demandarão investimentos de US$ 30 bilhões.
Barros, que participa de seminário sobre o futuro da energia elétrica, promovido pela Funcoge, no Rio, contou que as previsões para a expansão da energia nuclear fazem parte do Plano Nacional de Energia (PNE) 2050, cuja versão preliminar deverá ser divulgada em dezembro.
O secretário explicou que a previsão de expansão da geração de energia nuclear tem motivação além da área energética. “Ela [geração nuclear] ancora todo um desenvolvimento tecnológico, incluindo setores de agricultura e medicina”, disse. “É uma visão estratégica”.
Com relação à Angra 3, Barros reafirmou que a retomada das obras da usina está prevista para meados de 2020. O empreendimento continua previsto para iniciar a operação em janeiro de 2026.
Valor Econômico
COMPARTILHE

Sobre o Autor

Ex-vereador e Ex-presidente da Câmara de Vereadores de Jacobina, Carlos de Deus é formado em Administração de Empresas pela Universidade Norte do Paraná. Diretor-presidente do jornal Tribuna Regional e do site TrAgora.

Deixe Um Comentário


Desenbahia
BAN-728-X90-PX-mulher