O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, perdeu de vez a paciência com as sucessivas quebras de acordo por parte da Via Bahia e impôs um ultimato à empresa: ou ela deixa o controle sobre as BRs 324 e 116 no estado de forma amigável, sem sofrer eventuais penalidades, ou o governo federal levará adiante o processo para declarar a caducidade do contrato de concessão que transferiu as rodovias à iniciativa privada. Em reunião ontem com deputados da bancada baiana na Câmara, Freitas descartou reabrir qualquer tipo negociação para que a Via Bahia continue administrando as duas estradas e classificou a concessionária como “a pior do Brasil”.

A decisão, afirmou o ministro aos parlamentares, tem como base o descumprimento de grande parte das cláusulas definidas no contrato e de promessas feitas ao governo. “Em mais de dez anos, a Via Bahia não cumpriu sequer 90% do investimento previsto”, disse. Entre os quais, duplicar a BR-116 no estado.

COMPARTILHE

Sobre o Autor

Ex-vereador e Ex-presidente da Câmara de Vereadores de Jacobina, Carlos de Deus é formado em Administração de Empresas pela Universidade Norte do Paraná. Diretor-presidente do jornal Tribuna Regional e do site TrAgora.

Deixe Um Comentário