Nivaldo Maciel de Amorim guarda na memória até hoje o dia 26 de agosto de 1969. Foi nesta época que veio de Jacobina, cidade baiana, para Taboão da Serra e aqui construiu sua história. Por décadas, trabalhou em três empresas, entre elas a Condule. Foi em Taboão da Serra também que o corintiano de carteirinha carinhosamente ganhou o apelido de Fifa.

É com o mesmo carinho que o Fifa trata todos que passam pela Rua Thereza Maria Luizetto. Nesta via, que fica atrás do Santuário Santa Terezinha, o guardador vigia atentamente há mais de 20 anos os carros que por lá estacionam todos os dias. “Tem uns que colaboram e tem que outros que nem tchau dão. Mesmo assim está bom demais”. O dinheiro é importante, mas não é o que move Fifa.

Fifa é muito conhecido na rua. Figura marcante. A cada minuto se ouve uma buzina ou gritos mandando um alô para o senhor que leva o apelido da entidade máxima do futebol. Todo mundo gosta dele. Aposentado e com 77 anos, Fifa é um grande conhecedor da história da cidade. Com uma ótima memória, lembra bem sua impressão sobre o primeiro dia em Taboão. “Eu amo Taboão da Serra, me lembro quando cheguei na Vila Iasi e só tinha barro”. Atualmente, mora no Jardim das Oliveiras.

A simpatia, educação e simplicidade com que leva a vida são visíveis e admiráveis. Tendo pessoas como ele, qualquer cidade ficaria muito melhor de se viver. É por isso que fica aqui registrada esta singela homenagem a Nivaldo, o Fifa, que com certeza já recebeu do povo o título de cidadão taboanense. Jornal SP Repórter

COMPARTILHE

Sobre o Autor

*Atuou como Repórter nos jornais O Paraguaçu (Itaberaba/BA), Primeira Página (Jacobina/BA) e Oeste Hoje (LEM/BA). Sites: Camaçari Fatos e Fotos e Nossa Metrópole (Camaçari/BA). Atualmente, edita o portal TRagora e é Repórter do jornal Tribuna Regional.

Deixe Um Comentário