Ao passar pelo Centro da cidade de Jacobina (BA), vale a pena parar e olhar as novidades da Feira de Artesanato e Agricultura Familiar Solidária que acontece toda quarta-feira no Sambódromo da praça da Matriz. É impossível sair sem comprar alguma lembrancinha ou até mesmo petiscos e doces caseiros dos mais variados sabores.

A feira reúne artesãos e artesãs, mulheres empreendedoras, doceiras, quituteiras e povos de diversas etnias, como índios, negros e ciganos. Vera Lúcia, 36 anos, cigana, artesã é umas das expositoras e integrante do grupo que organiza o evento. Ela diz que o objetivo da feirinha é reunir povos de etnias diferentes, mostrando, além da arte e cultura, também, a capacidade de empreender de cada um.

A professora aposentada Maria Antonia, que dedica parte do seu tempo para organizar o projeto, pretende realizar a feira de modo itinerante. No período de 18 a 24 de março, a feirinha acontece em três locais diferentes. Primeiro, será na praça Rio Branco; em seguida, no Sambódromo e na praça Castro Alves.

Estão sendo aguardados expositores de várias partes do estado para mostrarem os seus trabalhos ao público jacobinense. Já estão confirmados os índios Kiriri de Ribeira do Pombal (BA), cujo artesanato de colares, brincos e arco e flecha é muito conhecido.

 

Michele Silva, de 21 anos e artesã há 10 anos, conta que o grupo também está aberto a escolas, faculdades e associações de bairros para promover oficinas e apresentações artísticas e culturais.

COMPARTILHE

Sobre o Autor

*Atuou como Repórter nos jornais O Paraguaçu (Itaberaba/BA), Primeira Página (Jacobina/BA) e Oeste Hoje (LEM/BA). Sites: Camaçari Fatos e Fotos e Nossa Metrópole (Camaçari/BA). Atualmente, edita o portal TRagora e é Repórter do jornal Tribuna Regional.

Deixe Um Comentário