Menu

Em Salvador, Moro recebe a medalha Tiradentes pela ADPF-BA

TRagora 6 anos atrás

O juiz federal Sérgio Moro, responsável por comandar as investigações da Operação Lava Jato na primeira instância da justiça, esteve na manhã desta quinta-feira, 23, em uma das salas de cinema UCI Orient do Shopping Barra para palestrar na 3ª edição do Simpósio Nacional de Combate à Corrupção. O evento é realizado pela Associação de Delegados de Polícia Federal da Bahia (ADPF-BA) e continuará nesta sexta-feira, 24.

Na abertura do simpósio, Moro recebeu a medalha Tiradentes, considerada a mais alta condecoração concedida pela ADPF. Em seguida, o juiz deu início a palestra. Em um dos pontos, ele falou sobre até que ponto é viável a relação da publicidade com as investigações.

“Os casos criminais devem ser julgados em público. Os processos e julgamentos são públicos. Há possibilidade de ocorrer em segredo, quando não há processo criminal ou se a publicidade possa prejudicar a investigação”, explicou.

O juiz também disse quando as investigações não devem ter as informações externadas: “É necessário ter cautela nas fases de investigação, mas uma vez superada a necessidade de sigilo, a publicidade se impõe. Em casos de crimes sexuais, onde a divulgação possa implicar em uma exposição da vítima, é natural a imposição de segredo”.

Em seguida, Moro afirmou a necessidade de divulgar os fatos aos cidadãos. “As pessoas têm o direito, em uma democracia, de saber o que fazem seus governantes e o judiciário não pode servir como um guardião de segredos sombrios dessas pessoas. É uma opção feita desde o início, de cumprir com a Constituição e externar todas as provas e fatos públicos. Isso foi potencializado pelo sistema eletrônico da quarta região (TRF4)”, pontua.

Na palestra, ele ainda explicou sobre alguns momentos que foi criticado sobre o vazamento de informações: “Muitas vezes falavam que ‘o juiz Sérgio Moro vazava informações’, mas, na verdade, estava tudo registrado em processo eletrônico e qualquer profissional da imprensa poderia ir lá colher os dados. Na verdade, qualquer pessoa independente de ser jornalista, porque isso é um direito”.

Ainda em seu discurso, Moro informou até onde a divulgação dos fatos pode afetar as investigações. “A publicidade foi fundamental para garantir o apoio da opinião pública. O juiz tem que investigar a partir dos fatos e das provas e julgar conforme isso e não com base na opinião pública. Mas em processos de pessoas poderosas, a opinião pode influir na atuação da justiça”, finalizou.

Em sua palestra, o juiz pontou sobre a relação entre as investigações e a divulgação dos fatos
Em sua palestra, o juiz pontou sobre a relação entre as investigações e a divulgação dos fatos.

Fonte: A TARDE

- Anúncio -
Deixe uma resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

- Anúncio -