Menu

Eike Batista é condenado a 30 anos de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro

TRagora 6 anos atrás

O juiz Marcelo Bretas, da 7° Vara Federal do Rio, condenou o empresário Eike Batista a 30 anos de prisão por corrupção ativa e lavagem de dinheiro em desdobramento da Operação Lava Jato no Rio de Janeiro. Ele é acusado de fazer pagamentos indevidos no valor de 16,5 milhões de dólares ao ex-governador Sérgio Cabral, em troca de contratos com o governo.

Em abril do ano passado, o empresário conseguiu prisão domiciliar, beneficiado pelo ministro Gilmar Mendes.

No mesmo processo, o ex-governador Sérgio Cabral foi condenado a 22 anos e oito meses de prisão. Somadas, as penas à Cabral superam 120 anos.

Outros condenados foram a ex-primeira dama Adriana Ancelmo (4 anos e seis meses); o ex-secretário Wilson Carlos (9 anos e 10 meses); o ex-braço direito de Cabral, Carlos Miranda (8 anos e 6 meses); e o braço-direito de Eike, Flavio Godinho (22 anos). Flavio Godinho é mais conhecido do público por ter ocupado o cargo de vice-presidente do Flamengo na atual gestão de Eduardo Bandeira de Melo. Godinho foi afastado do Flamengo em janeiro de 2017.

Os condenados irão recorrer da decisão.

- Anúncio -
Deixe uma resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

- Anúncio -