O Consórcio do Nordeste, figura jurídica que une os governos da região, foi iniciou a discussão sobre os primeiros planos de ação dos governadores. Uma das alternativas avaliadas, de acordo com a coluna Painel, da Folha de S. Paulo, é um contrato com a Opas, a organização pan-americana responsável pela exportação de profissionais de saúde, a fim de reinstalar atendimento similar ao do programa Mais Médicos.

Flávio Dino (PCdoB), governador do Maranhão, informou que já foi feita consulta à entidade. A proposta do Consórcio é de recuperar o contrato com a organização de forma regional. A Opas cancelou o acordo com o Brasil logo após a vitória de Jair Bolsonaro. Segundo o New York Times, 28 milhões de pessoas ficaram sem atendimento. Radar

COMPARTILHE

Sobre o Autor

*Atuou como Repórter nos jornais O Paraguaçu (Itaberaba/BA), Primeira Página (Jacobina/BA) e Oeste Hoje (LEM/BA). Sites: Camaçari Fatos e Fotos e Nossa Metrópole (Camaçari/BA). Atualmente, edita o portal TRagora e é Repórter do jornal Tribuna Regional.

Deixe Um Comentário