O blog Jacobina 24 Horas foi procurado por um grupo de profissionais de saúde que atua no Hospital Municipal Antônio Teixeira. Eles estão preocupados com o surgimento de casos positivos de coronavírus entre funcionários e pacientes.
A redação do Jacobina 24 Horas apurou que, somente nesta sexta-feira (10), através de uma testagem rápida entre funcionários e pacientes, foram diagnosticados mais de uma dezena de casos, incluindo três parturientes que precisaram ser transferidas para o Hospital Regional Vicentina Goulart, que está funcionando como Centro de Referência para Covid-19 em Jacobina.
Nos últimos dois meses, 14 funcionários do Hospital Municipal Antônio Teixeira Sobrinho testaram positivo para o novo coronavírus. Outros tiveram resultados inconclusivos e passarão por novos exames.  Os 14 trabalhadores contaminados foram afastados do serviço.
“Estamos sofrendo uma pressão insuportável, porque muitos pacientes, com sintomas de febre, gripe e dor de cabeça, insistem em ser atendidos aqui no Teixeira Sobrinho, quando deveriam procurar a UPA ou Hospital Regional Vicentina Goulart, que têm espaços e equipes treinadas para lidar com casos sintomáticos para a Covid-19”, relata um médico que conversou com a reportagem, mas que pediu para não ser identificado.
“Diariamente, somos alvos de ameaças dos pacientes. Eles ameaçam chamar a polícia, denunciar à imprensa, e até ameaças físicas, simplesmente, porque orientamos a procurar outra unidade de saúde, em casos como os já relatados”, continua médico.

“Alguns pacientes ameaçam chamar a polícia, denunciar à imprensa, e até ameaças físicas, simplesmente, porque orientamos a procurar outra unidade de saúde”, desabafa médico do Hospital Teixeira Sobrinho

“Pelo amor de Deus, gente, no Teixeira Sobrinho estão internadas crianças, mães, idosos, cirurgiados, enfim, pacientes altamente vulneráveis, que estão em processo de recuperação de uma enfermidade e não podem ser expostos a novos ricos. Será que a população não consegue entender isso? ”, questiona o médico.
De acordo com os profissionais ouvidos pelo blog Jacobina 24 Horas, por mais explicações que sejam dadas, muitas pessoas não entendem, se aborrecem, fazem ameaças, xingam os médico e funcionários.
Talvez por desinformação ou preconceito com a doenças, pacientes com sintomas gripais evitam buscar atendimento na Unidade de Pronto Atendimento (UPA 24h) ou no Hospital Regional Vicentina Goulart, que estão preparados para lidar com casos sintomáticos e assintomáticos da Covid-19.
“Espero que a imprensa nos ajude, conscientize a população, caso contrário, isso aqui poderá virar um caos, inclusive com a contaminação em massa de profissionais e pacientes”, conclui o médico.
A reportagem do Jacobina 24 Horas buscou a direção do Hospital Antônio Teixeira Sobrinho.  Uma atendente afirmou que, assim que tomasse conhecimento sobre o conteúdo da matéria, o diretor médico irá se pronunciar através de nota à imprensa.
COMPARTILHE

Sobre o Autor

Deixe Um Comentário