De janeiro ate o início de abril desse ano, ao menos 12 pessoas morreram na Bahia em decorrência de ataques de animais peçonhentos, segundo dados divulgados nesta terça-feira (9) pelo Centro de Informação Antiveneno do estado (Ciave). Um dos casos ocorreu na última semana, quando um homem veio a óbito depois de ser ser picado por uma cobra-coral ao brincar com o animal em Caetité, na região sudoeste — o ataque foi registrado em um vídeo.

Do total de mortes ocorridas esse ano no estado, dois foram em decorrência de ataques de serpentes. Os demais óbitos foram resultados de ataques e escorpiões (8), aranhas (1) e abelhas (1).

O Ciave afirma que o número de vítimas pode ser maior, porque as pessoas atacadas que evoluem a óbito antes de chegar a uma unidade médica não entram nas estatísticas do órgão.

Em 2018, foram 65 mortes (15 por conta de ataques de serpentes, 32 devido a ataques de escorpiões, 13 por abelhas, duas por causa de aranhas e três devido a ataque de outros animais).

O número de acidentes envolvendo animais peçonhentos registrados pelo Ciave, repassados pelos municípios, somam 6.358 no estado, de 1º janeiro de 2019 até esta terça-feira (9). Destes, 4.744 envolvem escorpiões, 614 envolvem serpentes, 214 com aranhas, 340 com abelhas e 446 com outros animais.

Em 2018, o número de ocorrências foi de 26 mil, entre elas 20.521 envolvendo escorpiões, 2.429 envolvendo serpentes, 1.200 com abelhas e 1.001 com aranhas. G1Bahia

COMPARTILHE

Sobre o Autor

*Atuou como Repórter nos jornais O Paraguaçu (Itaberaba/BA), Primeira Página (Jacobina/BA) e Oeste Hoje (LEM/BA). Sites: Camaçari Fatos e Fotos e Nossa Metrópole (Camaçari/BA). Atualmente, edita o portal TRagora e é Repórter do jornal Tribuna Regional.

Deixe Um Comentário