O presidente Jair Bolsonaro publicou uma nota de retratação nas redes sociais, nesta quinta-feira (13), após ter dito à deputada Maria do Rosário que a petista não merecia ser estuprada. A informação é do G1.

A medida foi tomada após uma condenação da Justiça. Caso não publicasse a retratação, Bolsonaro pagaria multa diária. Além da retratação, o presidente foi condenado a pagar R$ 10 mil por danos morais à deputada.

A ocasião em que o presidente deu a declaração foi em 2014, quando à época, Bolsonaro ainda era deputado federal.

“Em razão de determinação judicial, venho pedir publicamente desculpas pelas minhas falas passadas dirigidas à Deputada Federal Maria do Rosário Nunes. Naquele episódio, no calor do momento, em embate ideológico entre parlamentares, especificamente no que se refere à política de direitos humanos, relembrei fato ocorrido em 2003, em que, após ser injustamente ofendido pela congressista em questão, que me insultava, chamando-me de estuprador, retruquei afirmando que ela ‘não merecia ser estuprada'”, escreveu o presidente.

O presidente ainda disse que “mulheres brasileiras constituem uma prioridade” do seu governo e falou sobre a Lei Maria da Penha. “Nos primeiros meses de governo reforcei a Lei Maria da Penha permitindo a adoção de medidas protetivas de urgência para mulheres ou a seus dependentes, em casos de violência doméstica ou familiar (Lei 13.827/19). Essas são algumas das nossas ações em tão pouco de governo em prol das mulheres e meninas do nosso país”, afirmou.

COMPARTILHE

Sobre o Autor

Deixe Um Comentário