Menu

Apicultores do interior de Casa Nova fazem curso de captura de abelhas

TRagora 6 anos atrás

Com a perspectiva de melhorar seus sistemas de criação de abelha e ampliar a produção de mel, um grupo de apicultores de Riacho Grande, Mucambo e Lagoinha, comunidades do interior de Casa Nova – BA, participaram na manhã desta terça feira (23), em Riacho Grande, de uma oficina sobre captura de abelha.

Essa oficina também abordou orientações sobre manejo de apiários e cuidados necessários para um bom desempenho da produção de mel orgânico. A formação foi solicitada pelas próprias comunidades, que estão entre as maiores produtoras de mel do município de Casa Nova e recebem investimentos por meio do Projeto Pró-Semiárido, executado pela Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), órgão da Secretaria de Desenvolvimento Rural do Estado da Bahia (SDR). Os recursos do programa são frutos de Acordo de Empréstimos entre o Governo da Bahia e o Fundo de Desenvolvimento Agrícola (FIDA).

O apicultor e instrutor da oficina, Paulo Sérgio Ferreira, orientou  os participantes como se deve preparar os materiais e equipamentos necessários para a captura de abelhas e o que deve se observar para se obter uma boa produção de mel.  “Quando se compreende o comportamento das abelhas e se observa alguns cuidados temos um mel de boa qualidade”, disse Paulo Sergio no momento em que o grupo  capturava no meio da Caatinga um enxame de abelhas que foi transferido para colmeia devidamente preparada para essa prática a qual exige-se cuidados e certa habilidade.

Paulo Sérgio, que é colaborador do Serviço Socioambiental no Campo e Cidade (Sajuc), entidade que presta serviços de assistência técnica junto a essas comunidades pelo Pro-Semiárido, expôs várias dicas o observações também com relação a higiene das colmeias e outros fatores de proteção às abelhas para que todos possam ter não só boa produtividade, mas também um mel com boa aceitação.

O senhor Emanuel Santos, criador de abelha de Riacho Grande, está entusiasmado com a possibilidade de ampliar sua produção de mel que ele desenvolve há cinco anos. “O mel que venho colhendo e vendendo ajuda a manter minha família e fazer alguns investimentos. Agora com o curso, acredito que vou melhorar minha produção”, disse o apicultor.

A expectativa de melhoria na produção de mel está mesmo animando todos dessa região de Casa Nova conforme explicou Aparecida Reis, também colaboradora do  Sajuc, ao lembrar que o Pró-Semiárido está trazendo esse tipo de formação para os apicultores e ainda fornecendo caixas de colmeias e equipamentos que possibilitam um melhor desempenho da atividade. Segundo Aparecida, é uma possibilidade de aumento real de renda nas famílias: “o fato deles terem sua própria produção, mais valorizada e terem sua própria renda, isso traz melhoria de vida e dignidade”. A técnica lembra que esse grupo de apicultores vem demonstrando muita união e entusiasmo com essa atividade.

“Com o conhecimento da gente, junto com o conhecimento que chega pra nós, a comunidade alcança o objetivo que a gente quer”, palavras de seu Raimundo Campos que não ver a hora de transferir suas abelhar criadas em caixão rústico, para as caixas de colmeias fornecidas pelo Pró-Semiárido.

Em diálogo com o Técnico de Desenvolvimento Produtivo do Serviço Territorial de Apoio a Agricultura Familiar (SETAF) de Juazeiro, Emanuel Freitas, presente na oficina, os apicultores lembraram que apesar de animados, eles ainda precisam de equipamentos para processar uma quantidade maior de mel, além de outros insumos que possam qualificar os produtos para uma maior inserção no mercado. Essas demandas carecem de um maior investimento, o qual os apicultores afirmam que vão se organizar para conquistar.

  

Agência Chocalho

- Anúncio -
Deixe uma resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

- Anúncio -